Posts Tagged ‘sinceridade; Deus; necessidade’

10 de Abril

abril 10, 2010

Começo a contar a vocês alguma coisa da minha vida com Deus. Há algum tempo Deus tem me falado (é, ele me fala muitas coisas… na verdade, é a voz que mais se ouve no mundo, isso mesmo, nesse nosso mundo de aviões e celular) da importância de compartilhar a vida. Veja a Bíblia. Um livro que conta mais que histórias, compartilha vidas. Vidas de pessoas próximas a Deus, cheias de significado, cheias de uma verdade superior à sua situação. E alguma coisa da vida do próprio Deus, do jeito que coube entre o gênesis e o apocalipse (por incrível que pareça, é um espaçinho apertado _risos).

Hoje foi um dia difícil, daqueles dias de irritação, chateação, decepção. Hoje foi um dia de ira. E enquanto escrevo isso automaticamente “não se ponha o sol sob a sua ira”. Não deixe passar o dia sem passar a ira. O sono de um coração ressentido certamente não é dos mais renovadores. Fui à igreja. Ah, a igreja. Lugar controvertido. É ali que os dois maiores opostos se reunem: a hipocrisia para com Deus (o maior pecado) e o Amor à Deus (a maior virtude). No meio da controvérsia, Deus olha e vê que lá estão “dois ou mais reunidos para encontrá-lo” e ele resolve ter misericórdia e vai até Lá. E foi lá, hoje, no meu dia da ira, que eu encontrei o que eu precisava. Quando o culto terminou aquilo ecoava na minha mente: “2 horas pra Deus”. Meu espírito confirmava: “Isso! Hoje!”. E aí a noite seguiu até que, mais tarde, eu entrei no meu quarto e vim realizar aquela vontade, matar a fome da alma e do espírito (matar a fome, boa expressão). Passei algum tempo a sós com Deus. Nesse tempo, re-contei a ele as coisas que tem passado na minha cabeça, coisas do passado e coisas do que eu espero pra amanhã, pra esse ano, pra mais além. Ele me lembrou de muitas coisas, me ensinou um pouco sobre o meu caráter (em um ponto que eu ainda não via) e fez aquilo que ele faz de melhor: consolou a minha raiva. Ah, um dos seus nomes é “consolador”. Como ele é bom nisso. Então fiz uma coisa que eu aprendi com ele também, depois de desabafar, me calei e deixei que ele falasse, ali no nosso lugar silencioso, só a sua voz falou profundamente durante alguns minutos. Quando terminou, eu estava como novo, e largo por dentro. Suas palavras abrem espaço em mim, e preenchem o espaço com todo o bem que ele sabe fazer. Impressionante como Deus explica as coisas. Seu modo de pensar é arrebatador. E as coisas que ele diz são acompanhadas de uma paz e uma força e alegria sem igual. A minha fé é pequena, mas Ele me faz acreditar (“autor e consumador da fé”).

Está na hora de ir. Eu queria trazer todos comigo, qualquer hora dessas, pra visitar esse lugar em que se encontra Deus. Lá, onde a sua voz se ouve, e onde alguns até podem vê-lo, está a solução para um dia de ira, um dia mau. Ali, hoje, eu curei minhas preocupações e remorço. Agora eu vou dormir. Agora que a ira se foi. Há tudo isso em “2 horas pra Deus”. E isso era o que eu queria contar.

Anúncios