Posts Tagged ‘arrependimento’

Ressurreição

agosto 29, 2010

“O fim do pecado é a morte”…”Todos pecaram e não tem mais a glória de Deus”… “Ele levou sobre si”… “porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho…”

Ah! Tomar consciência de minhas falhas,
dos erros cometidos reiteradamente,
da profundidade em que as raízes do pecado se agarram às profundezas da alma,
do comodismo, da indiferença,
dos pedidos de perdão sucessivos e insuficientes,
do falso arrependimento,
dos compromissos não cumpridos,
de Jesus torturado injustamente,
ver tudo isso claramente e entender que

pela

Graça

sou

salvo.

Não, não é motivo de lágrimas, nem tristeza.
Não.
Deixei de ser orgulhoso.
De me desesperar com minhas falhas,
de me sentir derrotado ao ver no espelho a face podre dos desejos,
da hipocrisia que nos faz bons de discurso, ruins de prática,
da falsidade que nos faz fingir ver a Deus quando Ele não está Lá, ouví-lo quando Ele nada disse…

Hoje, quando penso no sacrifício de Jesus, naquele santo sacrifício, difícil, doloroso, mas profundamente voluntário e consciente, elaborado em amor e sabedoria, quando me lembro da sua morte, das suas lágrimas, da sua disposição em fazer isso mesmo sabendo que ia receber tão pouco de mim em troca, ou quase nada…

… sinto Paz.

Ouça:

pela

Graça

somos

salvos.

Não Há mais o que Fazer, só aceita-lo. Esta é a nossa ressurreição.

“O fim do pecado é a morte”…”Todos pecaram e não tem mais a glória de Deus”… “Ele levou sobre si”… “porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho…”

Ah! Tomar consciência de minhas falhas,

dos erros cometidos reiteradamente,

da profundidade em que as raízes do pecado se agarram às profundezas da alma,

do comodismo, da indiferença,

dos pedidos de perdão sucessivos e insuficientes,

do falso arrependimento,

dos compromissos não cumpridos,

de Jesus torturado injustamente,

ver tudo isso claramente e entender que

pela

Graça

sou

salvo…

Não, não é motivo de lágrimas, nem tristeza.

Não.

Deixei de ser orgulhoso.

De me desesperar com minhas falhas,

de me sentir derrotado ao ver no espelho a face podre dos desejos,

da hipocrisia que nos bons de discurso, ruins de prática,

da falsidade que nos faz fingir…

Hoje, quando penso no sacrifício de Jesus, naquele santo sacrifício, difícil, doloroso, mas profundamente voluntário e consciente, elaborado em amor e sabedoria, quando me lembro da sua morte, das suas lágrimas, da Graça…

… sinto Paz. Você não? Ouça:

pela

Graça

somos

salvos…

Não Há mais o que Fazer, só aceita-lo. Esta é a nossa ressurreição.

Anúncios

Volta ao pai, Volta à Vida

maio 11, 2010

Meus olhos estavam constantemente na estrada. Meus pensamentos e meu espírito pessoalmente com Ele, durante todo esse tempo. Ele não percebia, mas eu estava lá. Quando Ele decidiu se afastar, eu decidi que guiaria minha Graça diante dele, para o livrar. Foram longas noites e perigos além da sua consciência. Por pouco ele não se perdeu completamente, mas no fim, ele teve fome. Quem um dia comeu da mesa do pai, nunca esquece (“na casa de meu Pai até os servos tem abundância de pão”). Então ele decidiu voltar. Pensou não ser esperado, mas eu o aguardava naquele caminho a muito tempo (o caminho do arrependimento). Quando o avistei, meus olhos se encheram de lágrimas e eu não pude falar-lhe primeiro, porque minha voz estava embargada: o vi, meu filho, magro, sujo, pobre e esgotado pela vida longe do pai. Nem na minha mais severa disciplina eu iria diminuí-lo daquele modo (porque meu amor supera em muito minha ira). Não dei muita atenção àquelas palavras que disse quando me viu. Eu só procurava uma brecha, uma abertura, um convite para abraçá-lo. Quando ele finalmente se calou e baixou os olhos diante de mim eu entendi: Ele estava de volta! Avancei até Ele e restituí a primeira coisa que lhe foi negada por todo este tempo: Amor. Com um abraço vigoroso devolvi-lhe a chama do carinho, do cuidado e da segurança do Pai. Durante todo este tempo de distância, ele recebeu muitos abraços: abraços sensuais de mulheres de coração mentiroso, abraços traiçoeiros de falsos amigos. Só o meu abraço é Amor. Ele chorou acolhido em meu peito e então, diante daquelas lágrimas sinceras, eu decidi que era hora de restituir-lhe uma segunda coisa perdida: a Honra. Mandei que cuidassem dele, que lhe dessem vestes novas e , como sinal de nova honra, um anel no dedo. Assim, ele nunca mais será confundido. Quando ele decidiu partir sozinho, não levava identificação ou qualquer menção de meu nome. Era um jovem que decidiu viver sozinho no mundo. Agora, ele se vestirá como o Pai e será honrado e conhecido diante dos homens: dêem uma festa! Eu restituo sua Alegria. Todos saibam que meu filho que estava longe retornou. Que todos saibam que eu o recebo sem castigo, de modo que se assim decidi (o único que, justamente, poderia demandar com ele por algo), não há contra ele mais acusação. Restituo sua Liberdade pela minha Justiça. Ah, filho, você pediu a parte dos seus bens. Foi-lhe dada. Você se afastou e perdeu tudo. Não importa. Agora que voltou, você viverá na casa do seu pai, eternamente, sustentado pela minha parte, que nunca lhe será negada e nunca se esgotará. Coma. Beba. Você estava morto. Mas isso não importa mais.

” Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá”.

Eu te recebo de volta, Filho. Volta à Vida.

13 de Abril

abril 14, 2010

Olá, amigos(as),

quero falar sobre o que estou experimentando e deixar uma pequena lição que estou reaprendendo (esse negócio de “deixar lição” eu estou aprendendo com a história de Jesus, que era um mestre fora do normal e “ensinava” sempre que podia; isso me animou a procurar ensinar também):

 Não existe tempo fora de Deus que valha a pena. Eu aprendi isso do ano passado pra cá (quando dedicava tanto tempo pra Deus e nunca me sentia cansado, pelo contrário, quando mais eu tinha, mais eu procurava e isso começava a tocar as pessoas ao meu redor). Mas chegou um novo tempo pra mim, de mudança, (cidade nova, desafios novos, compromissos novos) e fui negligente e deixei de buscar. Voltei ao tempo do feijão-com-arroz, abandonei a experiência de “Festa” que você encontra quando se dedica a Ele. Mas no último fim de semana eu permiti que a palavra produzisse em mim arrependimento. E o arrependimento produz um fruto imediato: mudança. Faz três dias que me dedico exclusivamente a buscar a Palavra e a Presença de Deus (minha meta era pelo menos 2h por dia pra orar mais o tempo de bíblia, e nem fazia idéia de como eu ia conseguir superar essa programação_”Mas também. É a fome”, eu diagnostico logo).  Como é bom voltar. E é isso que eu quero dividir aqui, a sensação da experiência de ter Deus como prioridade. Você começa a ser guiado por Ele, a pensar e a se comportar como alguém inspirado por uma inteligência (emocional, profissional etc.) excelente. E ainda tem a paz no coração (os mesmos problemas, mas eles simplesmente mudam de proporção e não afetam mais seu juízo), a alegria de viver (que te puxa pra cima, faz você achar satisfação em tudo) e a certeza do certo (você não vascila, é tentado e não cai, a Palavra faz sentido e cada dia te mostra mais verdades). Bem que a Bíblia diz: “Porque o Reino de Deus é Justiça, Paz e Alegria; no espírito santo”. E voltar a isso me levou de volta à uma música que Ele me inspirou a compor ano passado, quando eu ainda estava começando a entender e a mudar. Ela fala sobre o preço e a recompensa. Hoje eu sou grato a Ele por poder comprovar, ainda tão jovem, com todos os sentidos e sem intermediários, que a sua história é verdadeira e por meio dela eu alcanço essa glória que hoje eu re-experimento. Que Ele mostre e inspire vocês ao Abril de começos e recomeços que eu tenho vivido.

Aprendendo e Curtindo a Graça da Intimidade,

humildemente, Thiago

Maior História

 

Meu Jesus Sofreu a Dor dos Homens
Cada Lágrima Suportou
Ele Deu e Nada Pediu em Troca
Quando Eu o Desprezava, me Amou

Como podem dizer que não se lembram
ou que nunca ouviram falar
Como podem negar tamanha história de amor
Foi meu Jesus Quem Morreu para Contar

Maior Prova de Amor não Se Viu
Veja Bem, Ele quer te Dar a Paz que Só Ele Tem
Maior História de Amor Não Se Verá
Veja Bem, Ele Quer Te Dar a Salvação Que Só Ele Tem Pra Dar

Veja Bem, Lembra Bem
História, Sua História, Ele Morreu pra Contar
Do Amor que Tem pra Dar