Archive for 2 de maio de 2010

Marcando Encontros com Deus

maio 2, 2010

Deus deseja se relacionar conosco com intimidade, intensidade e toda a comunhão. Através de Jesus, Deus criou a melhor forma pra nós de Encontros, uma forma maravilhosa de estarmos durante toda a vida com Ele. Funciona assim: nós marcamos a hora e o lugar, Deus decide a programação. E é maravilhoso estar com Ele, a ponto de “todas as coisas cooperarem para o nosso bem”, porque o escolhemos. O que poderia dar errado? Seriamos sempre chegados a Deus, conhecendo sempre o que Ele pensa, estando sempre próximos Dele, nos tornando cada vez mais parecidos com Ele. Mas nosso coração inverteu as tarefas do Encontro: nós queremos decidir a programação, e aí, oramos quando estamos em dificuldade: “Senhor, eu preciso ser promovido no emprego”. Naquele dia, Ele tinha planejado uma surpresa, um emprego novo, que te daria mais tempo pra Ele, pra nós, mas pedimos a promoção, e com a promoção vem mais trabalho, menos tempo, menos Encontros. Nós também nos esquivamos da nossa parte de dizer o horário, porque “não tenho tempo hoje” e escolhemos o mesmo lugar sempre, a igreja. Os Encontros se tornam monótonos e pouco íntimos, e perdemos de visitar com Ele nossa casa, lugares na cidade, um por do sol, enfim, nossos encontros caem na rotina e perdem o amor. Quando saimos do propósito de Deus pra nossos Encontros, Ele não se afasta, Ele não vai embora, Ele simplesmente espera. Então porque a sensação de “Deus não está aqui?”, ou “Deus não fala mais comigo”? É triste, mas também é uma grande alegria perceber que esse tempo todo Deus esteve à nossa espera e que o motivo do silêncio é que nós estamos no lugar errado, na hora errada, com o propósito errado, querendo encontrar a Deus nas nossas conveniências. Dê um pouco mais de si pra Deus, vá até Ele sem pedir nem esperar, apenas pra encontrá-lo, deixe que Ele conduza o Encontro, que Ele comece, apenas espere. Ele tem esperado tanto por você, fielmente, pacientemente. Espere por Ele. Apenas marque o lugar e a hora, e que seja bastante tempo, e que seja num lugar diferente. Certamente Ele te dará um Encontro inesquecível. E você vai viver toda a vida, feliz e plenamente realizado com seus Encontros com Deus.

 

Atenção a alguns erros comuns: Marcar a hora errada (pouco tempo, ou a pior hora do seu dia), o lugar errado (os lugares solitários são os melhores, mesmo que seja o seu quarto), querer dizer a programação e só desejar encontros pra pedir (não são nem encontros, são “reuniões de negócio” com Deus), desanimar-se porque Deus não veio (na verdade, você quem faltou, por isso o silêncio; reavalie, Deus está sempre lá) e desejar uma relação superficial (querendo se encontrar com Deus por correspondência, ou por intermediários; Deus não usa e-mail nem manda recado, ele vai até você).

Anúncios

Lenha e Fogo

maio 2, 2010

O primeiro cristão é o Lenhador. Ele afia o seu machado, prepara os seus braços fortes e entra pela floresta densa em busca de lenha. Sempre procura a fonte mais antiga, de maior profundidade e extensão. Ao golpear a árvore, o cristão percebe que não será fácil. Mas ele insiste, seu trabalho árduo dura o dia inteiro. Aos poucos obtem o que veio buscar: conhecimento. Então ele volta satisfeito, sabendo que fez um belo trabalho diante de uma tarefa difícil. No fim, ele empilha todo aquele conhecimento em grandes toras, senta-se em cima da pilha, e lá do alto diz: Pronto. Fiz o que tinha que fazer. Mas a noite fria vem e ele sente frio. Muita Lenha, mas não há Fogo.

O segundo cristão é o Atiçador. Ele é habilíssimo em fazer surgir a Chama e cultivá-la, mesmo com pouco ou nenhum combustível. Nas noites frias, ele está sempre à beira da fogueira, que nunca se apaga. Ele também enxerga melhor à noite que os demais, porque o Fogo revela muitas coisas ocultas. No fim, ele se senta à beira da pequena fogueira e se acomoda. Sua luz não atrai outros, porque a fogueira é pequena. Há Fogo, mas a Lenha é Pouca.

O primeiro cristão se torna rude. Ele mostra as marcas nas mãos, os braços fortalecidos pelo trabalho árduo, as obras de madeira construídas, que são tantas, e brada aos outros que sigam seu exemplo, que aprendam a trabalhar. Ele despreza o Atiçador. O Lenhador perde a ternura e não conhece a comunhão. O segundo cristão é arrogante e preguiçoso: da beira da fogueira, ele julga o Lenhador  como “distante da luz”, pois o outro não vê o que ele vê. O Atiçador não percebe que nada foi construído, que contentou-se com pouco durante toda a vida e que sua luz não é capaz de brilhar muito longe, pois não tem intensidade.

Lenha e Fogo. Quando o Lenhador aprende Sobre o Fogo, Quando o Atiçador aprende a buscar Lenha abundante, então se erguem as fornalhas que iluminam o mundo, incendeiam corações de milhares e cujas brasas vivas ascendem aos céus, onde Deus está.

Que o Seu Altar seja uma Fornalha de Lenha e Fogo. Palavra e Espírito.