Archive for abril \25\UTC 2010

25 de Abril

abril 25, 2010

Olá, meus amigos (as) do Blog,

queria hoje testemunhar sobre o que é ter “primeiro” Deus (e o seu governo, ou seu reino, como queira chamar… autoridade, direção etc.) e ver “as outras coisas” sendo acrescentadas. Faz 2 semanas que eu tenho dado prioridade pra Deus, que tenho me esforçado pra dar tempo a Ele, pra falar com Ele, pra aprender Dele, e isto quer dizer orar mais, ler e refletir mais sobre a Palavra, alimentar a vontade de ver a Deus, decidir firmemente a esperar Deus falar, permanecer ali pra escutá-lo (e devo dizer, quando Ele fala, Ele fala !), desenvolver comunhão, enfim, como é bom viver isso. Deus me conhece, eu o conheço um pouco mais, nós estamos mais juntos agora, começamos a pensar do mesmo jeito, a planejar as mesmas coisas, a sentir os mesmos sentimentos (Ele está me tornando mais parecido consigo pela convivência, como acontece com os grandes amigos). Agora eu vejo como eu estava a 20 dias atrás (isso pelo simples motivo de não ter compromisso com meu relacionamento com Deus): Andei nos últimos tempos tenso, preocupado com o futuro, até ensaiei um “corre-corre”, e graças a Ele não embarquei nessa onda. Acrescentado a isso, os problemas da vida: com a família, com questões nos relacionamentos, com o ministério, tantas coisas. Mas aí vejo hoje a parte boa: As “outras coisas” que a Bíblia diz que seriam acrescentadas começam de dentro. A primeira é Paz. Eu estou em paz. A Paz te devolve o ritmo real das coisas. Enquanto todo mundo está no “corre-corre”, você está andando calmamente com Deus, por onde Ele quer te levar, e aí você vê que você nunca chega atrasado. A Paz te ensina a paciência, a confiança a longo prazo e a tranquilidade da alma (adeus stress, olá Espírito Santo_risos). A segunda coisa é a Justiça. Quando você decide andar com Deus, você cresce. Você começa a ver as coisas boas e más mais claramente. E aí, você é capaz de tomar decisões mais sábias, a falar com sabedoria, a curar sua mente dos medos, traumas, vícios. A Justiça de Deus é como a luz invadindo sua mente, até mesmo lá nos cantos escuros do pesadelo (onde moram a falta de fé, o rancor com alguém, a maldade pra falar, a depressão etc.). Tudo é iluminado. E sua vida segue o mesmo rumo: iluminada. Com Deus você caminha radiante (“os que te amam brilham como o nascer do sol” Juízes 5:31). E Quando Deus está no controle ele ainda traz a Alegria. E a alegria de Deus é como o Salmo 1: “Feliz o homem que… reflete na Palavra dia-e-noite… ele será como uma árvore plantada num lugar estratégico: junto a um rio… que dá o fruto no tempo certo… suas folhas nunca murcham… e tudo quando este homem faz, dá certo”. Você vê as coisas ao seu redor dando frutos, você percebe em seu coração o tempo chegando pra cada projeto, e a Palavra vai se tornando sua fonte única, seu sustento certo, nada rouba a sua alegria. Eu estou VIVENDO isso. Eu que já me perguntei se realmente vale a pena dar a Deus o “primeiro” (que as vezes significa jogar tudo que te atrapalha pro ar), o melhor tempo, a maior disposição, enfim, o coração, eu mesmo respondo: isso sim é felicidade. Felicidade que transforma seus problemas (alguns são até os mesmos, olha só) em combustível para a sua alma (alimentam o desejo do melhor de Deus pra você). Felicidade que seu salário não compra, que seus amigos não tem pra dar. Só Deus pode dar, em Jesus, quando Ele for o “primeiro”. Seja o primeiro na minha vida, Jesus. Está valendo (muito) a pena.

 

Abração, Thiago

Anúncios

Toca-me. Guia-me. *

abril 25, 2010

Eu era cego. Acostumado a ser guiado por alguém a todos os lugares. Dependia de outros, os meus guias. Ouvi de Jesus, ouvi que ele podia com um simples toque fazer ver. Meu maior sonho era ver. Eu ouvia as vozes das pessoas ao redor e estava acostumado ao toque: pessoas me levando de lá pra cá, de cá pra lá, eu as seguia, mesmo as vezes por caminhos que eu não queria seguir. Mas o que fazer, eu era cego. Sim, meu sonho era ver. Então fui (guiado por outros) até Jesus. Rogamos para que ele me tocasse, e ele veio até mim. Senti seu olhar pousando sobre mim, um pobre cego, dependente dos outros, e senti quando ele me tocou. Porém, Ele não me tocava os olhos, mas sim me conduzia, como tantos outros já fizeram, e eu ainda estava cego, mesmo depois disso. Minha fé vascilou, mal sabia que aquela seria a última vez que alguém me guiaria à algum lugar daquele jeito. Ele me levou pra longe dali, longe dos meus antigos guias. Então ele me tocou, tocou de verdade, e a luz invadiu meus olhos pela primeira vez. Ele me perguntou: O que você vê? Eu respondi: Vejo pessoas (eu estava radiante), elas se movem na minha frente. Minha vontade era ir até elas, era agora seguir junto com elas. Eu pensei que já estava curado. Então Jesus novamente tocou-me, à princípio eu não entendi, mas quando a luz invadiu meus olhos pela segunda vez, eu vi: as pessoas que se moviam à minha frente, ao contrário do que pensei, não sabiam pra onde ir, também estavam cegas (“cegos guias de cegos”). Por toda a vida, eu fui um cego guiado por cegos, até Jesus tocar meus olhos. E aprendi com Jesus, o meu único guia verdadeiro, esta lição: Um verdadeiro guia sempre te leva até a luz. Um verdadeiro guia toca e traz luz. Luz  à vida. Hoje eu vejo.  “Tua Palavra ilumina meu caminho; Luz que me guia”.

  

* Paráfrase de Marcos 8:22 “Trouxeram-lhe um cego, e rogaram-lhe que o tocasse. Jesus, pois, tomou o cego pela mão, e o levou para fora da aldeia; e cuspindo-lhe nos olhos, e impondo-lhe as mãos, perguntou-lhe: Vês alguma coisa? E, levantando ele os olhos, disse: Estou vendo os homens, porque como árvores os vejo andando. Então tornou a pôr-lhe as mãos sobre os olhos; e ele, olhando atentamente, ficou restabelecido, pois já via nitidamente todas as coisas”

Jesus de 20 e Poucos Anos

abril 22, 2010

Olá, queridões e queridonas leitores deste Blog. Passo a dividir com vocês algumas coisas que se esclareceram em minha mente durante meu momento a sós com Deus desta semana. Isso tem me afetado muito: o modo como eu dirijo a minha vida, minhas escolhas e minha perspectiva do futuro. Estive pensando a respeito da juventude de Jesus. Isso mesmo, o adolescente que Jesus era, o jovem de 23, 24 anos Jesus, um “Jesus” pouco mencionado, mas muito importante.

A Bíblia nos dá algumas referências a respeito do jovem Jesus, veja: Lucas 1:80 diz que “o menino crescia e se robustecia em espírito”, Lucas 2:40 diz que ele “crescia e se fortalecia, tornando-se cheio de sabedoria; e Deus, com sua graça, estava com ele”, Lucas 2 ainda relata o “sumiço” do Jesus adolescente (na ocasião com 12 anos de idade), que três dias depois foi encontrado “no templo, sentando no meio dos doutores, ouvindo-os, e perguntando muito. E todos os que o ouviam se admiravam da sua inteligência e das suas respostas” (Lucas 2:46). O capítulo finaliza assim: E crescia Jesus em sabedoria, em estatura e em graça diante de Deus e diante dos homens (Lucas 2). Daí em diante, a história salta de 12 anos para 30 anos. Pouco mais é mencionado sobre a juventude de Jesus, mas uma coisa fica ecoando na minha mente: “e ele crescia em sabedoria”; imagino que Jesus, que era extremamente inteligente aos doze,deve ter empenhado os anos seguintes em apurar sua mente, encher-se da Palavra, “refletindo dia e noite” (salmo 1), no seu sentido real, na sua aplicação ao seu cotidiano. Ele também “crescia em estatura e graça diante de Deus”. Ah, a vida devocional de Jesus. Eu imagino o quanto Jesus orava quando ele tinha 20 anos de idade. E eu fico assustado imaginando que enquanto meus desafios pessoais são sucesso profissional, vida familiar e ministérios, ele tinha um mundo pra salvar. Enquanto eu oro para que se abram portas de emprego, ele orava para que as portas do inferno fossem escancaradas, e que Deus preparasse o caminho até a morte, ainda jovem. Ele sabia que não iria chegar aos 40. Ele devia ter emoções completamente equilibradas, fruto do seu tempo com Deus, e do conteúdo que possuia. Ele devia ser também muito alegre, confiante de si mesmo e otimista, ou essas tensões em sua juventude iriam sufocá-lo como pessoa, torná-lo amargo e desagradável, o que não aconteceu, já que a Bíblia ainda menciona que ele “crescia em estatura e graça diante dos homens”. Ele era carismático, interessante, atraía pessoas ao seus redor e, certamente, era a melhor companhia que alguém poderia ter. Jesus jovem, dá pra imaginar? Jesus e seus 20 e poucos anos. Fantástico. E ainda mais se pensarmos que ele, aquele garoto de 20 e poucos anos, era o Um, aquele que estava no começo com Deus, quem mais conhecia e entendia os planos de Deus para a humanidade. Eu olho para a minha juventude e vejo a distância entre nós dois. “Crescer em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens”. Ele era completo. Eu quero ser completo como ele foi. Bom pra mim saber que este mesmo Jesus, jovem, oraria um dia para que nós fossemos Um, assim como ele foi (e é) Um com o Pai, abençoando assim os 20 e poucos anos de tantos outros, abençoando os meus 20 e poucos anos.

Obrigado pela dica, Jesus. “E crescia o jovem Thiago em sabedoria, em estatura e em graça diante de Deus e diante dos homens”. Valeu mesmo.

aos 23, Thiago

É a Minha Força

abril 22, 2010

Eu tenho Amor. Eu tenho a Paz. A Alegria do Senhor é Minha Força.

Dia a Dia sigo os planos que o Senhor sonhou e busco o seu cuidado, a sua direção. Quando caio e estou fraco, pronto a desistir, eu me me lembro da palavra que eu meu coração diz que nada me separa do amor de Deus, e a Sua Paz excede toda Circunstância, então me levanto pra Recomeçar, porque em Jesus eu sei que vou não Parar, não vou parar.

Eu tenho Amor. Eu tenho a Paz. A Alegria do Senhor é Minha Força.

Na vida os caminhos nem sempre são bons, e o mal que se adianta e não posso prever me assalta e quando penso “não vou resistir” e as ondas se levantam e me fazem temer, aí me lembro das palavras do meu Deus que dizem “cuidarei de vós, ó filhos meus”; faz forte aquele que caminha sem vigor; renovo as minhas forças e espero no Senhor, espero no Senhor.

Eu tenho Amor. Eu tenho a Paz. A Alegria do Senhor é Minha Força.  Amor, Paz, é a minha Força.

Amor, Paz, o Senhor é minha Força.

 

* música Agosto\2009

13 de Abril

abril 14, 2010

Olá, amigos(as),

quero falar sobre o que estou experimentando e deixar uma pequena lição que estou reaprendendo (esse negócio de “deixar lição” eu estou aprendendo com a história de Jesus, que era um mestre fora do normal e “ensinava” sempre que podia; isso me animou a procurar ensinar também):

 Não existe tempo fora de Deus que valha a pena. Eu aprendi isso do ano passado pra cá (quando dedicava tanto tempo pra Deus e nunca me sentia cansado, pelo contrário, quando mais eu tinha, mais eu procurava e isso começava a tocar as pessoas ao meu redor). Mas chegou um novo tempo pra mim, de mudança, (cidade nova, desafios novos, compromissos novos) e fui negligente e deixei de buscar. Voltei ao tempo do feijão-com-arroz, abandonei a experiência de “Festa” que você encontra quando se dedica a Ele. Mas no último fim de semana eu permiti que a palavra produzisse em mim arrependimento. E o arrependimento produz um fruto imediato: mudança. Faz três dias que me dedico exclusivamente a buscar a Palavra e a Presença de Deus (minha meta era pelo menos 2h por dia pra orar mais o tempo de bíblia, e nem fazia idéia de como eu ia conseguir superar essa programação_”Mas também. É a fome”, eu diagnostico logo).  Como é bom voltar. E é isso que eu quero dividir aqui, a sensação da experiência de ter Deus como prioridade. Você começa a ser guiado por Ele, a pensar e a se comportar como alguém inspirado por uma inteligência (emocional, profissional etc.) excelente. E ainda tem a paz no coração (os mesmos problemas, mas eles simplesmente mudam de proporção e não afetam mais seu juízo), a alegria de viver (que te puxa pra cima, faz você achar satisfação em tudo) e a certeza do certo (você não vascila, é tentado e não cai, a Palavra faz sentido e cada dia te mostra mais verdades). Bem que a Bíblia diz: “Porque o Reino de Deus é Justiça, Paz e Alegria; no espírito santo”. E voltar a isso me levou de volta à uma música que Ele me inspirou a compor ano passado, quando eu ainda estava começando a entender e a mudar. Ela fala sobre o preço e a recompensa. Hoje eu sou grato a Ele por poder comprovar, ainda tão jovem, com todos os sentidos e sem intermediários, que a sua história é verdadeira e por meio dela eu alcanço essa glória que hoje eu re-experimento. Que Ele mostre e inspire vocês ao Abril de começos e recomeços que eu tenho vivido.

Aprendendo e Curtindo a Graça da Intimidade,

humildemente, Thiago

Maior História

 

Meu Jesus Sofreu a Dor dos Homens
Cada Lágrima Suportou
Ele Deu e Nada Pediu em Troca
Quando Eu o Desprezava, me Amou

Como podem dizer que não se lembram
ou que nunca ouviram falar
Como podem negar tamanha história de amor
Foi meu Jesus Quem Morreu para Contar

Maior Prova de Amor não Se Viu
Veja Bem, Ele quer te Dar a Paz que Só Ele Tem
Maior História de Amor Não Se Verá
Veja Bem, Ele Quer Te Dar a Salvação Que Só Ele Tem Pra Dar

Veja Bem, Lembra Bem
História, Sua História, Ele Morreu pra Contar
Do Amor que Tem pra Dar

Onde Parei ?

abril 14, 2010

Foi naquele dia, numa igreja qualquer, que quando menos esperava, eu  ouvi Sua voz. “Coisa da minha mente”, pensei, mas era tão claro. De tudo que ouvi, uma vontade se firmou: Entregar. E então eu me entreguei. Levantei-me quando convidado, sem entender bem o porquê, mas tendo uma certeza profunda de que algo em mim estava, naquele momento, sendo preenchido (aquele vazio antigo, que de quando em vez me deixava mal, e nada mais prestava). Ali eu encontrei o que chamam de “salvação”, mas que eu sei, explicando bem ou não, que é a certeza de que a mesma voz que me chamou “Filho” agora preenche o meu vazio e, um dia, me mostrará um outro lado da existência.

Conheci a Palavra, como chamam. Interessantíssima ela é. Tem cheiro de antiguidade, mas o seu discurso parece prever tudo o que está ao meu redor. Me interessei. Reconheço que há naquelas páginas tudo o que se possa querer saber: como orar, como se comportar, o ideal Dele para muitas coisas (namoro, igreja, administração do meu dinheiro), muitas lições de vida, alguma poesia e uma proposta interessante sobre a “vida eterna”. De vez em quando eu recorro a ela, à essa Palavra. Queria saber mais. Queria ter mais tempo para responder minhas perguntas (estou adiando algumas respostas, sim). Admiro quem domina seu conteúdo e procuro, sempre que possível, ouvir à respeito, na esperança de conhecer mais disso tudo, porque não há dúvidas: É uma proposta e tanto.

Orar. Simples, mas faz um bem. Eu oro para que eu possa orar mais. Eu oro. Eu até comecei a dedicar um tempo certo pra isso. Todos os dias eu estou lá. Meus 10, 20, 30 minutos me mantém durante o dia todo. E estou me disciplinando em guardar tempo. Não é que isso está me deixando mesmo diferente ? Preciso conhecer as minhas possibilidades. Quem sabe logo, logo eu comece a planejar uma leitura completa da Palavra, quem sabe. Meus 10 min. estão fazendo toda a diferença.

Me comprometi. Como eu não havia visto antes, estava tudo tão claro. O Seu sacrifício, toda aquela dor e nenhuma culpa. E eu preocupado com esse monte de entulho que eu mesmo permiti ser depositado entre Ele e meu Eu. Começo hoje a mudar. E vou mostrar aos outros, tantos, que isso é sério. Que Sua Vida em mim é verdadeira. Que realmente há uma esperança, um caminho. Dei um basta nas vaidades (trabalho, necessidade afetiva, realização dos sonhos pessoais). Vou sair na rua, eles terão que me ouvir. Ele existe. Ele existe.

“Oi, Pai”. “Onde você quer me levar hoje?”. Parei de correr. Quando eu pensei que estava em alta, eu caí em mim. Ele me mostrou quem eu era, e o que eu estava fazendo. Queria construir para Ele um reino exterior (na política da cidade, na fé dos outros, na vida e no testemunho falho dos que se chamam “crentes”, mas são superficiais… eu queria consertar o mundo) mas não havia sequer uma casa no meu coração que Ele pudesse habitar. Estou falando sobre a minha alma, que jamais permiti que Ele atingisse. Agora Ele me conhece e eu, eu estou disposto a conhecê-lo. A Palavra pra mim agora é um guia, que me encaminha para uma nova, profunda, viva experiência. Eu o sinto (paz, força, alegria, inspiração, simplesmente brotam quando eu oro… agora entendo o significado de “sobrenatural”, isso não vem de mim). Sim, não estava ali antes, mas agora eu o sinto, perto, Ele está perto. Quando oro, por um momento tenho a sensação de que Ele está ali, ao meu lado. E Ele é melhor, maior e mais real do que eu jamais poderia imaginar. Nós estamos nos conhecendo aos poucos. Mas minha vontade é prosseguir e sinto que as coisas estão tomando o rumo da felicidade que Ele prometeu. Agora entendo: não importa o que vier, agora eu sei, Ele está aqui.

Não mais Eu. Mudei. Quando eu vi todo aquele sofrimento, toda a correria vazia que esvazia o mundo, eu não suportei o silêncio, a omissão. Eu me doei como Ele. Eu escolhi andar como Ele andava, e ver como Ele vê. Agora caminho nesse propósito firme, “para que eles sejam Um, como nós”. Vou Ser como Ele é. Agora eu vejo, agora eu sinto sua dor: homens bons entregues à sarjeta, ricos chorando sua pobreza moral, crianças abandonadas por adultos que abandonaram sua fé, e com ela sua sensibilidade, sua humanidade, perderam a alma. Igrejas frias de nenhum Deus, homens céticos que preferem se chamar alcoólatras, adúlteros, miseráveis, depressivos, a serem chamados de “crentes”, sem saber que quem crê encontra a Vida, ainda que se afaste do que o mundo chama “Vida”. “Usa-me”, porque eu fui feito sobre medida para esta hora, para ser canal de salvação, agora eu sei. Levo nas mãos a Palavra (de que me encho sempre), o Espírito (Ele está comigo, em tudo somos Um) e o meu Eu (minhas habilidades, minha inteligência, meus sonhos, meu tempo e lugar à Sua disposição…).

a minha história com Ele continua… e a sua?

 

“Que você conheça e prossiga em conhecer à Ele; e a seu tempo, Ele certamente virá” (Os. 6:3). Se você parou de caminhar, se você olha pra trás e é o mesmo a muito tempo, se Ele pra você ainda é aquela voz distante, uma promessa à longo prazo, uma experiência real solitária no passado, uma pessoa indiferente, um relacionamento não correspondido, uma fórmula pesada de cumprir e de pouco proveito interior, ou mesmo uma relação vacilante e confusa, de altos e baixos demais, dúvidas demais e respostas aquém, Oséias 6 expressa bem a vontade Dele: “porque quero seus sentimentos e não sua religiosidade, e te conhecer mais do que qualquer coisa que você possa me dar” (ver. Os 6:6).

Pergunte-se: Onde eu Parei? E Prossiga.

Mais Cedo ou Mais Tarde

abril 12, 2010

Olá, meus queridos. Vou transcrever aqui uma série de 3 mensagens sobre o nosso “Tempo”, que tive a oportunidade de dividir no último Retiro de Adolescentes da minha igreja. Aproveito pra dizer pra você: Fuja ! Corra com todas as suas forças, aproveite qualquer oportunidade de sair desse lugar que você está. Não se deixe submergir. Lute contra a maré, não perca a perspectiva da solução. De que eu estou falando? Da sua situação, do seu Caos. Eu estou falando da sua ROTINA (a sigla é pra “ROUBARAM o que eu TINHA NATURALMENTE). Fica a dica: Leia Gênesis, leia Êxodo, e veja o modo como Deus se relacionava com o homem, e como eles gastavam seu tempo. Estamos muito distantes disso, então, vamos à luta.

O título da primeira mensagem é “Mais Cedo ou Mais Tarde”. Transcrevo aqui apenas alguns pontos e oro para que nosso Pai complete o entendimento como Ele fez naqueles dias. Onde está na Bíblia ?Destaque para João 4, episódio do encontro de Jesus com a mulher samaritana. Aquele pequeno encontro (só o tempo de beber água) mudou a vida de muita gente e responde àquela difícil pergunta: “Quando”?

Mais cedo ou mais tarde

Mais cedo ou mais tarde você descobre que poderia ler, pelo menos, um versículo por dia, e tentar ao máximo praticá-lo no dia seguinte, lembrar dele, viver isso. Mas você diz pra você mesmo que não tem tempo, quando o que falta na verdade é vontade (só a título de curiosidade, a bíblia tem 31.278 versículos. Se você tivesse lido apenas 10 por dia, nos últimos 8 anos, você teria lido a Bíblia inteira… o que você esteve fazendo nos últimos 8 anos que roubou seu tempo para 10 versículos?_risos_…e como eram poucos, quem sabe desse até tempo pra pensar um pouco a respeito_mais risos_vamos seguir, né?).

Mais cedo ou mais tarde você descobre que chama Deus de pai, mas não conversa com Ele, não o obedece, não sabe ao certo como agradá-lo, ou se Ele está (agora mesmo) feliz ou triste com você. Então, sua relação com seu “pai” se resume a agradecer pela comida e ao “boa noite” antes de dormir. Ele sente a sua falta, mas você não sabe. A pressa te tornou insensível.

Mais cedo ou mais tarde você descobre que Deus está fazendo muita coisa ao redor, na vida de outras pessoas, em outras famílias, em outros países. Você até se assusta, desconfia da veracidade de alguns testemunhos, as vezes se sente até ofendido em nome Dele, porque pelo que te consta Ele não faz esse tipo de coisa. Na sua vida, não.

Mais cedo ou mais tarde você descobre que existe uma ansiedade, um mau-humor, uma agonia, uma tristeza, um tédio, um cansaço, uma solidão, que de vez em quando te deixa vazio, vazio, vazio. Mas você é crente, então lógico que não é saudade de Deus (mesmo que você tenha a muito tempo deixado de passar tempo com Ele).

Mais cedo ou mais tarde você descobre que você pensa muito em Deus: cantando na igreja, trabalhando em algum movimento “evangelístico”, naquele Congresso, quando você descobre que tem câncer, quando o namoro não vai bem, ou seu negócio quer afundar. O que você nunca faz é pensar em Deus vivendo o resto da sua vida, fazendo aquelas coisas que você julga insignificantes pra Deus como vestir-se, bater-papo, ir ao shopping, jogar pingue-pongue, assistir um filme, passar as férias em qualquer lugar.

Mais cedo ou mais tarde você descobre que não tem tempo pra nada, nem pra Deus. Mas aí, surge aquela vaga maravilhosa de emprego, aquele convite sedutor pra sair dos amigos, aquela prova inesperada, e do nada, lá está: você acha tempo. Ops, alguma coisa errada ?

Mais cedo ou mais tarde você descobre que desaprendeu a pensar primeiro, fazer depois. E essa é a única característica que te diferencia do resto da criação, a capacidade de raciocinar (usar a razão para realizar).

Mais cedo ou mais tarde você descobre que Adoração é mais um modo de pensar do que um modo de agir. E aí você descobre que você adora pouco a Deus. Você praticamente nem se lembra dele durante o dia.

Mais cedo ou mais tarde você descobre que seu problema não é o horário apertado, a vida corrida, os compromissos de sobrevivência, da qual você não consegue se livrar. E sim, falta de Deus. Ou Ele não pode resolver isso ? (“Buscai primeiro… deixa que das outras coisas, eu cuido…”). Você diz que crê, mas é ateu na prática.

Mais cedo ou mais tarde você descobre que Deus te vê e te quer como Filho, pra cuidar de você em tudo, para te ensinar, te mostrar (mesmo que com rigor) o caminho que você deve seguir. E você o chama de Pai, mas o trata como empregado. Aí, você não fica satisfeito e demite a Deus. “Ele queria mandar até no meu tempo”.

Mais cedo ou mais tarde você descobre que não se sente nem um pouco atraído em doar seu tempo aos amigos, à sua comunidade (à igreja), aos pobres, à família. Aí você descobre que, no fundo, você não sente nada a respeito deles. E isso prova o quê ? “Aquele que não ama não  conhece a Deus”.

Mais cedo ou mais tarde você descobre que ninguém nunca encontrou a Deus sem procurar. Veja: “vocês me buscarão e me encontrarão quando me buscarem com todo o coração”. E se dá conta que de, esses dias, você passou mais de meia hora procurando um objeto que perdeu. Não era nada de muito valor não, mas você queria mesmo encontrar. Você quer mesmo encontrar a Deus? Ou você nem se dá conta do que perdeu?

Mais cedo ou mais tarde você se dá conta que tem dias que você pára na frente da televisão, e está tão bom, tão interessante, que você continua. Tem dias que você simplesmente não consegue sair da frente do computador, ou gastar menos de 20 min. no telefone com ele ou ela. E isso é porque existem momentos que, de tão bons, a gente gostaria de eternizar. Você só nunca experimentou essa sensação orando.

Mais cedo ou mais tarde você descobre que o maior tempo que você passa “com Deus”, na verdade, é dividido entre você, Deus e as outras 100 pessoas do culto,ou 20 pessoas de um grupo da igreja… e descobre que o que era pra ser seu momento “a sós com Deus”, tem um gosto terrível de solidão.

Mais cedo ou mais tarde você descobre que se sua igreja promove 2 retiros por ano, ou Congressos, cada um com 3 dias, vão ser os únicos 6 dias dentro dos 365 que você separou exclusivamente pra se concentrar na bíblia, e em orar. E aí você ainda se pergunta porque você só sente que Deus está próximo nos Congressos, nos retiros.

Mais cedo ou mais tarde você descobre que sabe mais propagandas de TV decoradas que versículos. Simples: você vê mais Tv do que vê a Bíblia.

Mais cedo ou mais tarde você descobre que Deus é bom. Ele te espera. E que você é mau (por aproveitar-se e deixá-lo no fim da fila). Quando você precisa Dele, contudo, você quer sempre ser o primeiro. E se Ele disser “espere”, você vai na frente e “seja o que Deus quiser”.

Mais cedo ou mais tarde você descobre que Deus é real. Sempre foi. Visível, audível, tangível, inteligível, comunicativo, participativo, etc. E que o problema está na sua Fé, que ainda não te convenceu de que você está perdendo tempo, perdendo Deus e se perdendo junto.

Eu torço para que o seu “mais cedo ou mais tarde” seja Cedo. O quanto antes. Não há tempo a perder.

“a Hora vem, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão ao Pai em Espírito e em Verdade”.

Pode Deixar. Eu te Ligo.

abril 12, 2010

É. Faz um tempo que Ele não me liga. Na verdade, eu não me lembro da última vez. O recado que Ele deixou na secretária eletrônica diz que Ele me ligaria todo dia, que estaria sempre por perto. Parece que Ele quer muito falar comigo. Não entendi. O que eu sei é que eu tenho feito a minha parte. Todos os dias, as vezes até mais de uma vez por dia, eu ligo pra Ele. Digo “Pai, obrigado por isso e aquilo, me ajuda nisso e naquilo…” e pronto. As vezes, antes de ligar, eu revejo as mensagens que Ele deixou. Isso me anima a ligar novamente. Parece que Ele me ama muito mesmo. Eu sempre deixo mensagens na sua secretária, geralmente pedidos. E de vez em quando, sem saber se Ele recebeu mesmo, por via das dúvidas, deixo de novo (pensando assim é até engraçado: eu devo ter dito umas 50 vezes “me ajuda a arranjar um emprego” _risos_imagine ele ouvindo uma atrás da outra, que vergonha). Mas também, nunca mais nos falamos. Na verdade, eu já nem me lembro direito como é a sua voz. Parando pra pensar mesmo, eu só conheço a sua voz, mesmo, pelas mensagens que Ele deixou. Mas tudo bem. Tudo bem. Eu vou continuar ligando. Quem sabe um dia Ele me atenda.

“Eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século”. Pare de deixar mensagens pra Deus (orações vazias). Não se satisfaça com o que foi gravado na secretária eletrônica (Bíblia). Esteja disposto a esperar na linha até que Ele atenda e você possa ouví-lo (espere em oração… se cale para ouvir a Deus… dê tempo a isso…) e dialogar (os dois falando) com Ele diretamente. Ele está lá 24h por dia. E cuidado para não ligar para o endereço errado. Consulte a lista telefônica ou pergunte ao telefonista (Jesus), do contrário, cedo ou tarde você pode ser surpreendido pela elegante mensagem dizendo: “este telefone não existe”. Nunca existiu. Daí o silêncio do outro lado da linha.

“Felizes são…”

abril 10, 2010

As pessoas mais felizes de todas… Elas andam na rua falando com ele, distraídas e satisfeitas. Não passam um dia sem se ver. Quando elas dão uma festa, há sempre o nome Daquele primeiro convidado: Ele não pode faltar (sem Ele a festa não teria graça). As pessoas mais felizes de todas… quando amam, quando correm, quando compram, quando falam,  nunca se esquecem Dele, do que poderia agradá-lo . As pessoas mais felizes de todas são aquelas que cantam pensando Nele no chuveiro, que comemoram com Ele pelo seu time ir à final do campeonato, que mencionam o Seu nome com carinho em praticamente tudo que lhe perguntam. As pessoas mais felizes de todas são simples demais e acreditam de todo o coração que “todas as coisas conspiram” para que estejam sempre com Ele, e como é bom estar com Ele. Além de sempre trazer presentes, ele fala de coisas tão agradáveis, tão profundas e inteligentes. Daí o porque delas darem sempre muito valor a qualquer coisa que Ele tenha a dizer. As pessoas mais felizes de todas podem ter muita coisa pra fazer, mas nunca fazem nada antes de perguntar a Ele sua opinião. Quando estão tensas, preocupadas, tristes, elas fecham os olhos, conversam com Ele francamente, desabafam, pedem ajuda (até choram em seu ombro), e quando abrem os olhos, há um brilho novo de força e esperança ali. As pessoas mais felizes de todas nunca fazem nada sozinhas, não porque não possam, mas porque preferem depender Dele, esperar por Ele, “ir junto”. As pessoas mais felizes de todas são essas… que amam a Deus com amor de amigo. Sinceramente.

10 de Abril

abril 10, 2010

Começo a contar a vocês alguma coisa da minha vida com Deus. Há algum tempo Deus tem me falado (é, ele me fala muitas coisas… na verdade, é a voz que mais se ouve no mundo, isso mesmo, nesse nosso mundo de aviões e celular) da importância de compartilhar a vida. Veja a Bíblia. Um livro que conta mais que histórias, compartilha vidas. Vidas de pessoas próximas a Deus, cheias de significado, cheias de uma verdade superior à sua situação. E alguma coisa da vida do próprio Deus, do jeito que coube entre o gênesis e o apocalipse (por incrível que pareça, é um espaçinho apertado _risos).

Hoje foi um dia difícil, daqueles dias de irritação, chateação, decepção. Hoje foi um dia de ira. E enquanto escrevo isso automaticamente “não se ponha o sol sob a sua ira”. Não deixe passar o dia sem passar a ira. O sono de um coração ressentido certamente não é dos mais renovadores. Fui à igreja. Ah, a igreja. Lugar controvertido. É ali que os dois maiores opostos se reunem: a hipocrisia para com Deus (o maior pecado) e o Amor à Deus (a maior virtude). No meio da controvérsia, Deus olha e vê que lá estão “dois ou mais reunidos para encontrá-lo” e ele resolve ter misericórdia e vai até Lá. E foi lá, hoje, no meu dia da ira, que eu encontrei o que eu precisava. Quando o culto terminou aquilo ecoava na minha mente: “2 horas pra Deus”. Meu espírito confirmava: “Isso! Hoje!”. E aí a noite seguiu até que, mais tarde, eu entrei no meu quarto e vim realizar aquela vontade, matar a fome da alma e do espírito (matar a fome, boa expressão). Passei algum tempo a sós com Deus. Nesse tempo, re-contei a ele as coisas que tem passado na minha cabeça, coisas do passado e coisas do que eu espero pra amanhã, pra esse ano, pra mais além. Ele me lembrou de muitas coisas, me ensinou um pouco sobre o meu caráter (em um ponto que eu ainda não via) e fez aquilo que ele faz de melhor: consolou a minha raiva. Ah, um dos seus nomes é “consolador”. Como ele é bom nisso. Então fiz uma coisa que eu aprendi com ele também, depois de desabafar, me calei e deixei que ele falasse, ali no nosso lugar silencioso, só a sua voz falou profundamente durante alguns minutos. Quando terminou, eu estava como novo, e largo por dentro. Suas palavras abrem espaço em mim, e preenchem o espaço com todo o bem que ele sabe fazer. Impressionante como Deus explica as coisas. Seu modo de pensar é arrebatador. E as coisas que ele diz são acompanhadas de uma paz e uma força e alegria sem igual. A minha fé é pequena, mas Ele me faz acreditar (“autor e consumador da fé”).

Está na hora de ir. Eu queria trazer todos comigo, qualquer hora dessas, pra visitar esse lugar em que se encontra Deus. Lá, onde a sua voz se ouve, e onde alguns até podem vê-lo, está a solução para um dia de ira, um dia mau. Ali, hoje, eu curei minhas preocupações e remorço. Agora eu vou dormir. Agora que a ira se foi. Há tudo isso em “2 horas pra Deus”. E isso era o que eu queria contar.

conhecidopelonome.

abril 9, 2010

A história começa quando Ele começa. Por mim e por você, verdade. Não por nós, indistintamente, mas por mim, Thiago, e por Você. No minuto final Ele tinha tantos nomes em mente, tantas histórias, nossas histórias. Era algo pela qual valia a pena morrer, ainda que fosse preciso morrer uma vez para cada um desses, sim. Mas não foi preciso, Ele era suficiente, e bastou dizer aquilo, eu ainda posso ouví-lo: “Está Consumado: Thiago, João, Maria, Ana…”. Dali em diante, todos conhecidos por um único nome: Jesus, “nome sobre todo nome”.